quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Lembranças.

"Segunda noite que sonho com você.
Como você está? Como anda a vida? O trabalho, a família, os amigos, as atividades? Correndo muito? Lembra daquele tanto de coisa que você tinha começo a fazer quando nos conhecemos? Espero que tenha continuado todas, ou pelo menos boa parte.
Aliás, lembra de quando nos falávamos quase que diariamente, sem pretensões, sem pressões, conversávamos nossas alegrias, tristezas, angústias, as novidades(que muitas vezes nem eram tantas), ou simplesmente mandávamos bom dia/boa semana/boa noite/beijos, apenas para lembrar um ao outro que tínhamos o ombro amigo e apoio recíproco.
Fico tentando pensar quando foi que isso se perdeu. Na verdade, e o que mais me dói, é que sei. Não foi escolha minha, erro meu, e nem erro seu; foi sua escolha. E o mais difícil disso tudo: eu compreendi, e compreendo.
Tenho vontade, muitas vezes, de te ligar, te mandar uma carta, só pra dizer que sinto sua falta e falta da sua amizade e carinho. Mas não posso, não posso por que, primeiro não tenho meios e, segundo, por que quero respeitar nossa distância.
Queria apenas saber como você está, se está bem, feliz, saudável, sorrindo, como sempre me prometeu que estaria.
Meu sonho? Ah, não foi nada demais. Você estava fazendo o que gostava, sorrindo, feliz, sendo você: aquela pessoa alegre que conheci, e que sempre irei lembrar com amor fraterno e amizade.
Gostaria tanto, tanto mesmo, que você lesse e soubesse disso. Gostaria de te dar um último abraço e me afastar por completo, mas me conheço e sei que não iria conseguir mais. Gostaria de te dizer tudo isso pessoalmente. Mas, de vez em quando, penso que seria pior; poderia ser forçar sua escolha, ficar um clima chato e minha última lembrança com você seria desagradável. Melhor deixar assim, prefiro continuar distante...
Quem sabe um dia, em um futuro próximo, ou longínquo, sentaremos a mesa de um café, tomando uma bebida qualquer e falando de como foram gostosos e curiosos esses nossos momentos, inclusive este de afastamento. Poderíamos tomar todas aquelas bebidas que você vivia me dizendo que adorava, tiraríamos aquela tarde que sempre dissemos que teríamos apenas para conversas leves e longas risadas. Ainda aguardo, mesmo que em vão, esse dia. Quem sabe, ele chega, quem sabe.

Sempre te desejei, e sempre vou te desejar isso:
Felicidade e Sabedoria.
Com estas duas virtudes você sempre irá longe, mas me tranquiliza saber que você as trabalha muito bem.

Um beijo, com amor.

D.G"
Tempo, tempo, tempo...
Você é mesmo um danadinho!
Sempre mostrando o que fica e o que vai, o que é bom e ruim, o que vale a pena e o que devemos esquecer.
Esquecer. Taí uma coisa difícil! Acho que esquecer, a gente nunca esquece, mas aprendemos a deixar de lado e não pensar mais. O que é uma ótima coisa de se fazer, pra nós mesmo. Difícil é, E COMO, mas vale a pena o trabalho pessoal.
Voltando a você, tempo; alguns te chamam de sábio, que alivia as dores, trás as soluções, nos faz pensar; outros acham você uma incrível perda de tempo, que o bom mesmo é o segundo de agora.
Confesso: prefiro te chamar de amigo, confidente, de parceiro, camarada, de irmão.
Você sabe bem o que passei, você sabe o que decidi, fiz, escolhi, escondi, vivi, amei, odiei. Te odiei por tantas vezes, por não passar logo, ou por não querer que você passasse.
Mas você, sem sua sabedoria, sempre soube, sempre saberá. Nunca deixará de passar, mas estará sempre ai, aqui, acolá, no começo, no meio e no fim.
Obrigada, tempo!

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Estranho e Raro


Finalmente você saiu, seu danadinho.
"Too Weird To Live, Too Rare To Die", o 4º álbum de estúdio(5º da carreira) do Panic! at the disco. Não foi oficialmente lançado, mas esta semana tivemos a chance de conhecer as músicas do nosso álbum dos meninos de Vegas.
Os quatro integrantes inciais do P!ATD tinham entre 16/17 anos quando lançaram seu primeiro e bombástico álbum "A Fever You Can't Sweat Out"(e para muitos, o melhor álbum da carreira deles) e consigo toda uma temática circense. O álbum seguinte foi, para estes fã-lunáticos-A-Fevernéticos, um blade de água fria, com direito a pedras de gelo e pulo em um lago no inverso nova-iorquino. Muito mais leve, zen, instrumentos diferentes e mínimo de eletrônico possível. Gritos, Xingamentos e lamentações, foi o que mais ouvi na época.
A banda partiu-se em dois e, vocal e batera(Brendon Urie e Spencer Smith) continuaram com o nome original e deram à luz ao "Vices & Virtues", que dividiu opiniões: Parte disse que era a volta por cima(e o tapa na cara) que a banda dava , outros acharam estranho demais e parte ainda choramingavam o "A Fever Times".
Agora, depois de quase 3 anos sem lançar nada novo, eles surgem com "Too Weird To Live, To Rare to Die!(detalhe á exclamação). Certamente o álbum mais eletrônico e diferente da banda. Muitos(quando digo isso, foram muitos MESMO que vi criticarem) chamando de "lixo", "para quê tanto auto-tune", "porcaria".
Particularmente, não criei expectativas sobre esse álbum(não compreendam mal. Amo incondicionalmente essa banda, meus amigos sabem. Mas volta e meia passamos por tormentas em nossa vida, que não nos permitem dedicar grande parte de nosso tempo aos nossos prazeres, e eu estava em um destes furacões).
Confesso que ainda estou formando minha opinião sobre você, Weird/Rare. Por outro lado, os pontos positivos estão marchando mais alto rumo ao meu conceito sobre ti. Também confesso que estou feliz por ver a evolução musical, vocal e técnica dos meus meninos.
Acho que no meio musical tudo é permitido, redescoberto, renovado. Uma banda, para mim, que faz 3,4 álbuns completamente iguais, ganha troféu "imaturidade do ano". Existe uma variedade inesgotável, principalmente musical, nesse mundo. Tem mais é que experimentar mesmo.
Lamento por aqueles que criticam, pelo simples fato de não ser como o som que eles criaram quase 10 anos atrás. Pessoas crescem, outras não.

domingo, 14 de abril de 2013

e o vago...

Volto, apareço, volto, apareço, volto, apareço...
Volta e meia(e volta completa volta) venho aqui desabafar o que preciso deixar sair, fluir. Pois mais bizarro que possa parecer.

Resolvi revirar algumas coisas, pendências, que decidi deixar na pendência mesmo. Por quê?
Porque tudo o que eu vi foi o "Vago": pensamentos vagos, pessoas vagas, idéias vagas, fotos vagas, textos vagos, o vago em sua mais simples e modesta representação.

Me pergunto o que faz uma pessoa levar a vida pra este lado tão triste: a falta de amigos verdadeiros? a falta do auto-conhecimento? a impulsividade? a preguiça que querer mudar?. Não sei, e devo morrer sem descobrir estas e outras respostas.

Para mim, toda vaga deveria ser preenchida com algo, no mínimo, satisfatório.
Será que estas tuas escolhas são frutos do seu verdadeiro querer? Ou você simplesmente se satisfaz 'com o que vier'.
Eu não me satisfaço com pouco(Meus pontos capricornianos e minha lua em Leão não me permitem, ainda bem). Desejo sempre mais e melhor, isso me leva a pontos e lugares desconhecidos e inexplorados pelo meu querer. Nada melhor.
Não que eu queria que todos façam isso, eu espero o melhor para quem merecer, mas acho que não custa nada você não se acomodar com mínimo que, de vez em quando, vem pra você.

Quero sempre preencher minhas 'vagas' com as melhores coisas: seja no campo profissional, no familiar, nas amizades, no amor. Quero o melhor de todas essas áreas sempre, e levarei todos que estiverem comigo para este melhor. Recuso-me a deixar 'vago' na minha vida, ou pior, simplesmente preencher minhas vagas com o 'mínimo'.

15 minutos para o fim do primeiro dia desta semana.
Chega de pensar.
Que os dias úteis(segundo o calendário do peão) comecem...

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Infinito 360


Ela tinha aquele sorriso doce e uma divina paz de espírito. Vivendo sem saber, sem notar.
Mal sabia ela que o mundo lhe preparava uma volta deveras dolorosa, amarga e indigesta. 
Um repentino baque a deixou no chão, lhe tirou as forças e a esperança em todos, principalmente naqueles que lhe prometeram nunca machuca-lá. Também, como acreditar depois de tamanha dor?!
O ciclo termina e ela nada poderia fazer, mesmo querendo. Tentou agir, tentou voltar no tempo, queria que o mundo lhe devolve-se tudo que lhe foi mudado. Infelizmente nada fazia o tempo parar, ou passar mais depressa. O imediatismo não faz parte das cicatrizes.
Precisava seguir em frente, precisava de tempo, precisava de fé.
O mundo continuou a girar, e cada parte das mágoas ia ficando pra trás a cada virada volta do relógio, a cada volta do Sol e da Lua, a cada volta do mundo. De inicio parecia que tudo isso só ia aumentando sua dor, mas a verdade é que, o Tempo lhe trazia leves plumas com sua sabedoria.
Agora ela sabe que o mundo não para de rodar. Dores e alegrias sempre virão, e nem sempre estaremos preparados para isso. Não no nosso superficial. 

sábado, 24 de dezembro de 2011

2011


Posso dizer que foi um dos anos que mais minha vida foi-e-voltou, pra todos os lados.

* Começo do ano morando na minha avó, mas ainda sim tive um aniversário ótimo
* Procura louca em busca de uma casa, e depois de várias tentavas frustradas, encontramos.
* Mudança, reforma da casa, deixá-la a nossa cara
* Entrei numa empresa, um mês depois fui dispensada por corte de folha de pagamento
* Entrei numa emissora de TV como estagiária, e fui promovida a Produtora.
* Teve Avenged Sevenfold
* Teve 30 seconds to Mars
* Teve Red Hot Chili Peppers
* Teve Jay Vaquer
* Teve Jane Duboc
* Teve Ke$ha
* Teve Jessie J
* Viciei no Instagram, e muito
* (Re)descobri pessoas de uma maneira muito especial
* Decidi que não a pena nadar contra a corrente, mesmo amando muito o rio
* Namorei
* Terminei
* Decidi que namorar é para os fracos( hahaha )
* Viajei pra Brasília (e cada vez mais tenho certeza que quero e PRECISO morar lá)
* Viajei pra Paulínia
* Viajei pro Rio de Janeiro
* Viajei pra Bertioga
* Li mais dois livros da série Dexter
* Fiz uma nova tatuagem
* Decidi não tirar o contra-baixo da minha vida
* Bebi ( e muito )
* Reencontrei pessoas queridas
* Reencontrei pessoas que poderiam não mais existir
* Tive férias
* Gravei um curta-metragem
* Tive muita insônia por conta disso
* Fugi de um assalto
* Comi MUITA comida japonesa
* Engordei 6 kilos
* E os clássicos: Ri, Chorei, Dancei,Sorri. Emoções humanas.

Agora peço para o bom velhinho iluminar minha vida e meus festejos, meus e de todos que significam algo pra mim.

Agradeço por este ano
e que 2012 seja tão intenso e maravilhosamente bom como foi 2011

xxxx


segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Reply acovardado(140 caracteres estendidos)

Queria tanto entender qual é o seu problema. Se é que existe um.
Na verdade, existe sim, só não sei se é com você, ou comigo, ou com os dois.
Isso soa como falsidade sua, uma falsidade que eu jamais fiz questão. Prefiro uma verdade cruel a um suporto carinho camuflado de piedade. ACORDA, mas que merda!
Não é possível que você não perceba como machuca sua não-indiferença.
E o pior, eu ainda não sei porque tento entender o que se passa, porque ainda me preocupo com você e esta situação. Deve ser porque me importo, coisa que eu não deveria. Mas já estou trabalhando nisso, mesmo com muito pouco sucesso.

Me faça um favor:
Da próxima vez que você me ver, ignore-me. Jogue limpo
Estou praticando diariamente minha frieza em relação a você, pois me chateada este seu joguinho de lua. Decida seu lado.

A velha estória do 'colocar fé e exigir demais dos outros'.
Preciso urgentemente parar com isso, está ficando cada vez mais ridículo, e só eu tenho a perder.
Você não faz questão alguma então eu contorno a situação e os fatos a 180º, e acabo sempre retornando aos 360º com o dobro de dúvidas.

Chega,
agora é pra valer.
Não faço falta pra você, e quero sentir o mesmo por ti

x